Mais de R$ 1,5 milhão vai subsidiar 19 projetos na área ambiental no DF

Fonte: Agência Brasília

Com a assinatura dos termos de outorga e aceitação pelo presidente da FAP-DF, Tiago Coelho, contemplados podem receber o recurso e iniciar a pesquisa

Para alinhar pesquisas com políticas públicas necessárias ao desenvolvimento sustentável de Brasília, 19 projetos estão contemplados — no valor total de mais de R$ 1,5 milhão — para pesquisas sobre meio ambiente, sustentabilidade e políticas públicas socioambientais.

No dia 23/02, em solenidade com o governador Rodrigo Rollemberg, a Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAP-DF)iniciou a assinatura de termos de outorga e aceitação. Com esse documento, os selecionados podem receber o recurso e começar a pesquisa.

Presidente da FAP-DF, Tiago Coelho firmou o termo com Helena Eri Shimizu, decana de pós-graduação da Universidade de Brasília (UnB), uma das entidades com projetos escolhidos.

Há ainda propostas, por exemplo, da Universidade Católica de Brasília, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e do Serviço Social da Indústria (Sesi).

Os temas e as linhas de pesquisa são divididos em:

  • Água e adensamento urbano
  • Clima, Cerrado e água
  • Áreas protegidas e seus impactos na saúde e na qualidade de vida
  • Incêndios florestais e seus impactos na saúde e no clima
  • Gestão territorial e seus impactos na redução de gastos com infraestrutura
  • “Todas essas linhas aqui financiadas para o conhecimento de processos ambientais buscando garantir sustentabilidade são extremamente importantes para termos uma cidade sustentável e que seja exemplo para o resto do Brasil”, avaliou Rollemberg.

Os trabalhos vão subsidiar políticas públicas climáticas, hídricas, territoriais e de resíduos sólidos no DF e na Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno (Ride).

Para o secretário do Meio Ambiente, Igor Tokarski, a aplicação dos estudos na realidade de Brasília é importante na busca do desenvolvimento sustentável: “O objetivo é trazer as pesquisas para os problemas atuais para poder balizar as decisões políticas”.

 

"Essas linhas aqui financiadas são extremamente importantes para termos uma cidade sustentável e que seja exemplo para o resto do Brasil "

“Tanto o investimento da FAP quanto a demanda feita pela Secretaria do Meio Ambiente atenderam às orientações do governador para temas importantes”, ressaltou o presidente da fundação, Tiago Coelho.

Os projetos foram selecionados por meio do Edital nº 6, de 2017. Puderam participar pesquisadores, gestores, técnicos e servidores que atuem nas áreas do conhecimento relacionadas e que estejam vinculados a instituições públicas ou privadas.

Na solenidade, Rollemberg destacou ainda que a destinação de recursos para pesquisas na área ambiental coincide com dois momentos importantes na cidade: a construção do zoneamento ecológico-econômico do DF (ZEE-DF) e os preparativos para receber, neste mês de março, o 8º Fórum Mundial da Água.

Alinhada à proposta de sustentabilidade, o governador reforçou o compromisso no setor com ações como a desativação do Lixão da Estrutural e a democratização do acesso à orla do Lago Paranoá.