Sergio Bicalho: Uma história de superação

O nosso entrevistado desta edição é o carioca Sergio Bicalho (42), um empresário bem sucedido que comanda o Grupo Alvo, com atuação no ramo da proteção veicular tanto no DF como em todo o território nacional. Casado com Carolina Bicalho e pai de dois meninos, Israel (9) e Samuel (recém-nascido), ele é um entusiasta do associativismo. Começou seu negócio ele e a esposa com um panfleto na mão e muita disposição para trabalhar.

Trata-se de uma autoridade no ramo da proteção veicular e do associativismo, inclusive é um dos fundadores e O presidente da CONFEDERAÇÃO NACIONAL DE PROTEÇÃO VEICULAR – CNPV.

Influência: Conte-nos um pouco sobre a sua trajetória no mundo dos negócios.

Sergio: Minha vida foi um desafio desde que me entendo por gente. A cor da minha pele (negra) me fez ter que viver uma guerra quase que diária pera vencer o preconceito e a discriminação. Tive que aprender a ser resiliente e a acreditar que os meus sonhos eram possíveis.

Aos 23 anos veio o acidente de moto que me deixou sem a metade de uma das pernas. Meu mundo desmoronou, mas no meio de toda aquela adversidade, a luz do evangelho de Cristo iluminou minha escuridão, me alcançou e transformou minha desgraça em oportunidade de crescimento. Foi um tempo de muito esforço e superação. Mas, olhando para trás vejo que Deus estava presente em todos esses episódios para forjar dentro de mim um verdadeiro campeão.

Influência: Como surgiu o Grupo Alvo?

Sergio: Sempre fui um vendedor nato. Parece que nasci para isso(risos). Em minhas muitas experiências com vendas, fui convidado por um outro grupo interessado em implantar o sistema de proteção veicular no Distrito Federal, como diretor comercial. A experiência me fez conhecer profundamente o sistema e me deu o know-how para abrir um negócio no mesmo ramo. E assim, surgiu a Alvo. Fundada em Novembro de 2011, a Alvo existe para garantir aos nossos associados a proteção do seu veículo com segurança, qualidade e confiabilidade.
Proporcionamos a todo cidadão brasileiro a oportunidade de proteger o seu bem, com preços justos, sem burocracia e de forma simplificada.
Somos focados em aprimorar cada vez mais nossa qualidade, tendo mais excelência nos serviços prestados com proteção veicular e trazendo cada vez mais benefícios para nossos associados.

Influência: o que é como funciona o serviço de proteção veicular?

Sergio: O empreendimento funciona como um fundo administrado pela nossa entidade associativa (Alvo – Benefícios Mútuos), presidida pela minha esposa, Carol, no qual os associados dividem entre si os custos mensais dos acidentes e sinistros que ocorrem com os veículos dos seus integrantes.

O associado normalmente paga taxa de adesão e mais uma mensalidade que varia conforme os prejuízos da soma dos associados integrantes.

Deve-se deixar claro que a Alvo NÃO COMERCIALIZA SEGUROS, apenas oferece um serviço interno aos que a ela se associam, os quais, tal qual em uma ação entre amigos, protegem seus veículos de forma solidária, arcando com os danos e prejuízos mútuos, como uma forma de reduzir custos em tempos de tamanha crise financeira. É a verdadeira força do associativismo.

Influência: Quais são os serviços contidos na proteção veicular?

Sergio: Os nossos serviços incluem: Proteção dos veículos contra roubo, furto, colisão, incêndio, capotamento, perda total, danos da natureza, vidros, faróis/lanternas/retrovisores, cobertura para terceiros, rastreadores, assistência nacional 24 horas para reboques e socorros, além de uma rede de descontos para que os associados obtenham benefícios em vários tipos de estabelecimentos.

Influência: Por que razão existe tanta perseguição das seguradoras em relação ao serviço de proteção veicular?

Sergio: à semelhança do aplicativo Uber, em relação aos taxistas, o serviço de proteção veicular sofre severa perseguição dos grandes bancos, os quais não admitem ver seus clientes migrarem para o modelo associativista e de cooperativismo, fugindo dos pesados encargos e exploração deste setor. Os custos reduzidos do sistema associativista permitem que os associados economizem consideravelmente em relação aos usuários de seguros convencionais. Os preços caem até 50% do valor dos seguros que atuam no mercado.

Influência: Quais são as vantagens da proteção veicular em relação a concorrência

Sergio: São várias: Em primeiro lugar a proteção veicular não é ligada a pessoa do condutor e sim ao veículo, ou seja. Deste modo, não importa para nós quem está dirigindo, desde que seja habilitado, a proteção alcança a qualquer um condutor. Em segundo lugar a praticidade é incomparável, pois o nosso aplicativo interage com o cliente e faz praticamente tudo diretamente. Em terceiro lugar, o nosso serviço não é burocrático, ou seja, não consultamos SPC/Serasa, não precisamos fazer análise de perfil, não exigimos carência e a nossa indenização é de 100% da tabela FIPE. E o melhor de tudo, concedemos descontos por indicação, o que permite que a pessoa ao indicar amigos e estes contratarem o serviço, ela vai ganhando isenção de até 100% da sua mensalidade.

Influência: Que garantias existem de que o consumidor associado será de fato atendido quando da ocorrência de algum sinistro?

Sergio: A garantia vem exatamente do fundo criado pela soma das contribuições mensais dos associados, os quais usufruem dos serviços. Como o associativismo não busca lucro, os valores vão se acumulando e formam uma reserva segura.

Influência: Existem muitas outras associações oferecendo serviço de proteção veicular no Brasil?

Sergio: Olha, esse ramo de atividade já funciona no país há mais de 17 anos e existem mais de 2.000 associações de proteção veicular em funcionamento.

Influência: Ficamos sabendo que o Grupo Alvo possui uma estratégia ousada de expansão por meio de franquias e micro-franquias, como isso funciona?

Sergio: A Alvo mapeou geograficamente o Distrito Federal e entorno e está em processo de credenciamento de interessados em explorar o serviço de proteção veicular por região administrativa. O trabalho do franqueado é relativamente simples já que ele só precisa vender o serviço e cadastrar os associados em nossa plataforma online. A plataforma faz as cotações, gera os boletos e dá suporte aos usuários, inclusive temos um aplicativo para dispositivos móveis e uma linha 0800, preparada para atender a todos os usuários.

Influência: Qual o valor do investimento na franquia e qual é o tempo estimado de retorno do capital investido?

Sergio: As micro-franquias exigirão um investimento de 30 a 40 mil reais e as franquias girarão em torno de 100 a 200 mil reais.

O tempo de retorno do investimento dependerá, obviamente, da dedicação dos franqueados, mas o tempo médio estimado de retorno é de seis meses a um ano.

Influência: Existe alguma pretensão por parte do Grupo Alvo em investir também na área da saúde, usando o mesmo sistema associativista?

Sergio: Sim, já temos estudos avançados para a implantação de um tipo de proteção à saúde utilizando o mesmo sistema.

Influência: Que incentivo o senhor como empresário daria a pessoas interessadas em adquirir uma franquia da Alvo proteção veicular?

Sergio: Eu acredito no empreendedorismo. Os homens mais ricos do mundo são unânimes em afirmar que a melhor maneira de alguém conquistar sua liberdade financeira é sendo dono do seu próprio negócio. O que a alvo oferece é essa oportunidade de uma pessoa se tornar dona do seu próprio negócio e atuando em um mercado promissor enorme, com todas as possibilidades de crescimento.

Influência: Quais as vantagens de utilizar o serviço de proteção veicular?

Sergio: A contratação de uma associação de proteção veicular envolve menos burocracia. Funciona como se fossem um grupo de amigos, que caso um dos membros sofra um acidente e precise de conserto no carro, o grupo rateia o conserto entre si.